quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Meu tesouro - part II

Avistei uma cidade inteira
Os frenesins que próprios dela são
E de uma ou de outra maneira
Poucos sentem o meu coração

Por entre a turba vaguear
Vivo me faz sentir
Mas para contrastar
Nem sequer sei onde ir



Regresso calma e obstinadamente
Ao centro de tudo, ou seja
Ao que é meu, e silenciosamente
Me renovo em quem me beija

5 comentários:

Můsą dо Розτą disse...

Ahahahahah... Sou a primeira a comentar este post... =P Tb pudera, fui eu k te inspirei pa faxeres este poema!

Amo.teeee meu borracho mais lindooo! Nao conseguimos ficar amuados um com o outro por mto tempo, né???

Agr tens k faxer um poema a descrever o tal do beijo... Akele... O Melhor de sempre!

Vá sao todos, mas akele foi especial...


@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@...


Aiiiii se eu te apanho... Tens k me dar outro dakeles! Essa boca mais boa, é só MINHAAAAAAAAAA....


Amo.teee...


Tua Musa... FOREVEEEEEERRR!


DTA....


ah.... Feliz Natallll.... e na passagem do ano, já tás comigo! =P

ladybug disse...

Sim sr q grande Musa q tu tens.

Tá mto bonito o poema!! :O)

Mimi disse...

oi Dani ;)
mt interessante por aki... :)
vou adicionar te a lista dos blogs k visito.
boas festas e otimo 2009!
abraço!

Cauda de Fada disse...

Gosto muito dos teus poemas =)estao lhe associados uma musicalidade bonita.. ate parece q estamos a ouvir-los a serem tocados pelo rui veloso ou assim..
beijao*

Anónimo disse...

não gostei
desculpa
já escreveste coisas melhores