segunda-feira, 5 de julho de 2010

Se não estás...

Revejo tudo... Começo do principio... Primeiro o que parece mais óbvio! Uma a uma, enumero as razões: Não consegui ser o que esperavas! Há mais razões? Depois o menos óbvio... Mas tentei... Seguindo-se o que mais se assemelha a um puzzle completamente desfeito... Um arremessar de imagens contínuo mas quebrado, estilhaçado... Se não estás, as imagens do teu som ecoam através de mim... Tento impedir que as imagens que chegam retalhadas continuem... Tento apaga-las... São mais nítidas... Se não estás...

1 comentário:

... disse...

As razões... Quando alguem toma uma decisão.. a decisão de nos deixar.. a nossa primeira reacção é chorar.. tentar desesperadamente que nada desapareça.. depois disso tudo quando nd resultou.. culpamo-nos.. arranjamos mil e uma razões para justificar os actos de outrem. Mas a culpa não é nossa, nem sempre, não neste caso. A culpa é sim, de quem não deu valor, de quem queria tudo e talvez agora acha que tenha, mas no futuro, vai acentar is pés na terra e perceber, que não tem nada.