quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Meu tesouro - part I

Sentei-me, um sorriso esbocei
Ardi na tua fogueira
E enquanto havia madeira
Me alegrei

Arder na fúria de quem me ama
Com o que de mais profundo há em nós
Calma e leve se derrama
Toda a sensação de estarmos sós

Do topo de algo avisto
Algo que desconheço
Continuo e logo persisto
É algo que merece apreço

1 comentário:

Cauda de Fada disse...

Ai que romantico =)
Não esperava por esta faceta de escriturario. Parabéns! Escreves muito bem ;)
Beijao